4 meses atrás

Descobre o Porto desconhecido em 3 propostas para 3 sábados de Julho

Tascos, Nasoni e banhos na Foz – 3 propostas para 3 sábados de julho


Incursões pela gastronomia tradicional dos velhos tascos portuenses (14 de julho), deambulações pelas praias da Foz (21 de julho) e a evocação do mais portuense arquiteto barroco, apesar de nascido em Itália, (28 de julho) são as propostas da empresa de animação turística Gbliss para o próximo mês.

Os 3 percursos fazem parte do calendário de atividades do Ano Europeu do Património Cultural 2018.

Pelas 11h de sábado, dia 14 de julho, com encontro marcado junto ao coreto do Jardim de S. Lázaro, arranca o percurso temático “Pelos tascos do Porto”. O desafio consiste em percorrer o Porto dos tascos, um património ameaçado de extinção. O percurso inclui a visita a 6 tascos, provando algumas das suas especialidades, intercaladas com apontamentos de história (vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=vsn1bVDLQCw).

Com a duração de 5 horas, o passeio termina pelas 16h em Miragaia, após os participantes se terem deliciado com bolinhos de bacalhau, papas de sarrabulho, caldo verde, broa, bifanas, sandes de pernil, sandes de presunto, ginjinha, cerveja e vários vinhos.

O percurso tem um custo de 28 euros por pessoa, valor que inclui seguro de acidentes pessoais e petiscos nos diversos tascos. O número de participantes é limitado e sujeito a inscrição prévia. Mais informações: https://www.facebook.com/events/166912654008718/

Vamos a banhos


No sábado seguinte, 21 de julho, é a vez de rumar a ocidente, ao encontro do iodo e da maresia. O percurso chama-se “O Porto a banhos” e tem início logo de manhãzinha, pelas 9h30, junto ao farol de São Miguel-o-Anjo, na Cantareira. Pretende-se contar a história da Foz do Douro e a relação dos portuenses com as modas estivais. De pacata aldeia de pescadores e couto do mosteiro de Santo Tirso, São João da Foz ganhou importância acrescida a partir de meados do séc. XIX, quando “ir a banhos” começou a ser moda entre nós.

Assiste-se à popularização da praia, muito graças às recomendações médicas, na luta contra o raquitismo. A atração pelo mar é responsável pela criação de novas vias de acesso e pelo desenvolvimento dos transportes públicos. Criam-se carreiras de “americanos”, utiliza-se a “máquina” (pequena locomotiva a vapor a circular pela via pública) e, pouco depois, expande-se a rede do carro elétrico até ao mar. Promovida a local da moda, a Foz Velha, junto ao rio, expande-se em direção à Foz Nova, disposta pela frente marítima, ao longo da avenida de Carreiros (as atuais avenidas do Brasil e de Montevideu), prolongando-se por Nevogilde. O percurso – que termina pelas 13h, na praia do Molhe – tem um custo de 15 euros por pessoa, valor que inclui seguro de acidentes pessoais e café a meio da manhã. Mais informações: https://www.facebook.com/events/177981166184690/

O mês termina com um recuo no tempo de 270 anos: vamos até 28 de julho de 1748 quando, por entre abraços e lágrimas de regozijo e emoção, os membros da Irmandade dos Clérigos Pobres assistiam à bênção e à celebração da primeira missa na sua igreja dos Clérigos, vencendo quase duas décadas de sucessivos acidentes e contratempos. E é precisamente a 28 de julho, mas de 2018, que a Gbliss leva a cabo o passeio “Nasoni e o Porto”, lembrando o autor da igreja e da torre dos Clérigos.

Nicolau Nasoni


Pintor e arquiteto, Nicolau Nasoni é uma figura incontornável da cidade. Neste percurso, desvendam-se as histórias e os mistérios da presença deste homem que nasceu na Toscana mas se deixou encantar pela Invicta. Aqui viveu, ficou famoso, casou e morreu, estando sepultado nos Clérigos, a sua obra-prima e ex-líbris da cidade do Porto. Começando pelas 9h30 no Terreiro da Sé, o percurso termina pelas 13h, com uma visita ao Museu da Irmandade dos Clérigos, ao coro alto da igreja e, para quem tiver força nas pernas, uma subida à torre. Com um custo de 15 euros por pessoa – valor que inclui seguro de acidentes pessoais e café a meio da manhã –, o número de participantes no percurso é limitado e sujeito a inscrição prévia. Mais informações: https://www.facebook.com/events/195732404414597/

O guia de todos os percursos é Manuel de Sousa, autor do livro “Porto d’Honra” e da página “Porto Desaparecido” no Facebook.

Historiador da cidade e, até muito recentemente, diretor de comunicação da icónica Livraria Lello, Manuel de Sousa é sócio da Gbliss.
Deixe o seu comentário

Registe-se para comentar!

Precisa de estar registado para poder fazer comentários. Faça login ou registe-se gratuitamente, no webook® Porto. Se preferir, pode usar a sua rede social para fazer o login.

Anúncio