4 meses atrás

A Claus Porto abriu uma loja na Rua das Flores e não poderia cheirar melhor

A Claus Porto Abriu uma Flagship Store no Coração do Porto


Foi há exatamente 130 anos, em 1887, que os empresários alemães Ferdinand Claus e Georges Scnvveder criaram a primeira fábrica de sabonetes e fragrâncias da Península Ibérica na histórica cidade do Porto.

Hoje, poucos meses após a abertura da sua primeira loja própria em Lisboa, a Claus Porto regressa a cidade que a viu nascer com a inauguração da Flagship Store da marca.

Esta loja-museu, situada no número 22 da Rua das Flores, é uma das faces mais visíveis da celebração dos 130 anos da marca.
"Escolhemos a Rua das Flores, em pleno centro histórico do Porto, pelo seu charme intemporal, em tudo semelhante ao da Claus Porto," explica Francisco Neto, CEO da marca. "É com um orgulho enorme que apresentamos finalmente a Claus Porto a cidade que lhe deu vida e nome” acrescenta.

A loja ocupa a totalidade do edifício, uma típica casa burguesa do Porto do séc. XIX, composto por três pisos e com uma área total de cerca de 30om2.

À semelhança da loja de Lisboa, a arquitetura é da responsabilidade do Arqº João Mendes Ribeiro, que manteve o objetivo de "sublinhar a importância do património da Claus Porto: um património constituído não só pelo significativo espolio físico destes 130 anos, mas também pelo património imaterial relacionado com o valor simbólico de cada objeto desta história."


A loja ocupa a totalidade do edifício, uma típica casa burguesa do Porto do séc. XIX, composto por três pisos e com uma área total de cerca de 300 m2.

O que podes encontrar


Em termos espaciais, a intervenção central do projeto consistiu na introdução de uma escada central em madeira maciça de riga e suspensa por um sistema de tirantes metálicos - uma peça de desenho despojado que veio dividir as salas compridas e estreitas dos vários pisos em duas zonas distintas.

É precisamente a meio da escada, na transição para o último andar, que foi instalado um jardim vertical inspirado no solo selvagem encontrado nos montes portugueses e sobre ela que foi aberto um lanternim que recupera também a tradição da casa do século XIX, em que a escadaria central aparecia normalmente associada a uma expressiva claraboia.

No piso 0, a loja recebe os visitantes com um piso em mosaico hidraúlico artesanal com um padrão personalizado desenvolvido pela Claus Porto, em homenagem a herança da forte identidade gráfica da marca.

Este piso e parcialmente ocupado pelo espaço da loja propriamente dita, com zonas dedicadas a cada uma das linhas da marca.

Na zona de entrada, dedicada as coleções Classico e Agua de Colonia, um sistema modular de pequenas caixas expositoras - algures entre a caixa de joias e a mala transportadora permite acomodar os vários produtos de forma flexivel, sendo capaz de variar em função das coleções.

Transpondo a zona da escada, o espaço e ocupado por dois volumes com desenho igual mas materialidades e funções diferentes: um balcão de atendimento em latão polido semelhante ao da loja de Lisboa e um lavatório comum em pedra mármore maciça, a volta do qual os clientes se podem reunir para testar produtos.

Junto a estes dois elementos, as coleções Deco e Musgo Real são dispostas num grande armário recuperado do espólio de antiguidades da marca. "Materiais nobres, formas lúdicas, e a versão moderna de uma loja histórica”, explica Anne-Margreet Honing, Diretora Criativa da Claus Porto.


O design gráfico teu a curadoria e instalação do designer Eduardo Aires (White Studio)

Um serviço de barbearia tradicional


A coleção Musgo Real conta ainda com um espaço exclusivo ao fundo da loja, caracterizado por uma zona de estar com uma cadeira de barbeiro vintage, que pode ser fechado e transformado numa pequena sala privada. Será este o espaço onde, aos sábados, terá lugar o "Musgo Real Hot Towel Shave", um serviço de barbearia tradicional que visa dar a conhecer e experimentar os produtos da coleção masculina da marca.

O piso intermédio e inteiramente dedicado a historia da Claus Porto e onde está exposto grande parte do património da marca, com o objetivo de trazer a luz do dia verdadeiros tesouros que ate agora só estavam ao alcance de alguns.

Aqui, para alem de uma exposição de curadoria interna, que conta a historia da Claus Porto através da presença de uma serie de documentos, fotografias e objetos relacionados com os momentos mais importantes dos últimos 130 anos - eles próprios alojados em móveis originais da fabrica encontramos ainda duas exposições de design gráfico com curadoria e instalação do designer Eduardo Aires (White Studio): uma sobre a evolução do logotipo da Claus Porto e outra sobre a imagem da coleção Musgo Real.


Uma vista privegiliada


"Percorrer todo o vasto território visual do arquivo da Claus Porto constitui não só uma viagem no tempo como um exercício de exaltação cromática e tipográfica que as distintas embalagens transportam. É admirável o grau de composição visual entre os diferentes elementos gráficos que viajam entre uma iconografia impar até ao desenho de texturas e padrões feericos," explica Eduardo Aires.

O último piso conta com um espaço multifunções que, sob a forma de um apartamento, visa não só dar vida aos produtos Claus Porto num espaço que em muito se assemelha ao o seu destino final (a casa dos consumidores), como também ser um verdadeiro laboratório de ideias e produtos.

Neste espaço - que conta, entre outros elementos, com uma cozinha-laboratório, uma grande mesa e uma zona de estar com vista privilegiada para a Sé do Porto -, será possível aprender, experimentar e conviver sob o signo da Claus Porto.


A Mini Fábrica de Sabonetes e o Laboratório de Aromas


Este será igualmente o palco dos muitos workshops previstos pela marca, com especial destaque para "A Mini Fábrica de Sabonetes", que permitirá descobrir como são produzidos os sabonetes Claus Porto graças a maquina de sabonetes presente no local, e "Laboratório de Aromas", uma experiência sensorial que começa na planta e termina no perfume.

As seis montras da loja, duas por piso, são da autoria do cenógrafo Pedro Rodrigues, que se inspirou no espolio da Claus Porto para a criação das montras do piso térreo, nas quais combinou as malas de amostras antigas da marca com produtos contemporâneos.

No primeiro e segundo pisos da loja o dramatismo e inspirado nos cenários de David Lynch e tem como protagonista um sabonete Claus Porto gigante. O cenário e composto por lâmpadas de vários tamanhos, de filamento exposto - como as criadas por Edison -, que se espalham desconstruindo um enorme lustre pelos dois pisos.

"Os espelhos de onde pendem essas lâmpadas duplicam as referências a Lynch, sugerindo um jogo de ilusão e mistério," reforça Pedro Rodrigues. O aspeto cénico destas montras e reforçado pelas ondas dramáticas criadas pelas cortinas de veludo rosa escuro.
"Este sim, será o palco por excelência para a Claus Porto se apresentar em todas as suas facetas sensoriais, gráficas, aromáticas... enriquecidas pela sua historia centenária e pelo bater do coração da (sua) cidade, ” remata Francisco Neto.


Este será o palco dos muitos workshops previstos pela marca, com especial destaque para "A Mini Fábrica de Sabonetes" e o "Laboratório de Aromas".

Onde: Rua das Flores, 22, Porto
Telefone: 914 290 359
Horário: Segunda a Domingo das 10h00 as 20h00
Deixe o seu comentário

Registe-se para comentar!

Precisa de estar registado para poder fazer comentários. Faça login ou registe-se gratuitamente, no webook® Porto. Se preferir, pode usar a sua rede social para fazer o login.

Anúncio